sábado, 22 de abril de 2017

Personagens Bíblicos: Mardoqueu

Após o último levante de Jerusalém contra o domínio de Nabucodonosor, a família de Mardoqueu foi deportada para a Babilônia. Ele provavelmente nasceu em Susã, cidade que se tornou uma das capitais do Império Persa após Ciro ter conquistado a Babilônia. Também herdou uma posição oficial entre os judeus cativos, que o manteve no palácio mesmo após a expulsão dos babilônios. Certa feita, ficou sabendo de uma conspiração para assassinar o rei Assuero, contou a trama a Ester e salvou a vida do monarca. A vida de Mardoqueu foi repleta de desafios, os quais ele transformou em oportunidades. Quando os pais de Ester morreram, ela foi adotada por seu primo Mardoqueu. Os próprios pais dele provavelmente haviam sido mortos e ele sentiu-se responsável por ela. Mais tarde, quando foi recrutada para o harém de Assuero e escolhida rainha, Mardoqueu continuou a aconselha-la. Logo depois disso, ele se pós em conflito com o segundo no comando do império, Hamã. Embora disposto a servir o rei, Mardoqueu se recusou a curvar-se e reverenciar o representante do rei. Hamã ficou furioso. Por isso, ele planejou matar Mardoqueu e todos os judeus. Seu plano se tornou lei para os medos e os persas, e parecia que os judeus estavam irremediavelmente condenados.  Mardoqueu , disposto a servir a Deus onde quer que estivesse, tomou a iniciativa de contatar Ester e lhe dizer que talvez o único motivo de Deus ter permitido que ela fosse a rainha era para interceder ao rei e salvar o seu povo desta ameaça. Mas Deus também o havia colocado no lugar certo anos antes. Deus revelou ao rei durante sua leitura noturna dos documentos históricos que Mardoqueu já havia salvado sua vida uma vez, e o rei percebeu que nunca havia agradecido a Mardoqueu. A grande honraria que o rei proporcionou a Mardoqueu arruinou o plano de Hamã de pendurá-lo na forca. Deus havia preparado uma eficiente estratégia contra a qual o plano de Hamã não poderia prevalecer.
Mais tarde, Mardoqueu instituiu a festa judaica do Purim. Ele teve uma longa carreira de serviços prestados ao rei e em favor dos judeus. Na vida de Mardoqueu, Deus combinou caráter e circunstancias para realizar grandes coisas. Ele não mudou seu estilo de trabalho. Deus está usando as situações que você enfrenta a cada dia para tecer um padrão de santidade em seu caráter. Pare e peça ajuda a Deus para agir de forma correta nas situações em que você se encontra hoje.
Pontos fortes e êxitos:
Denunciou uma conspiração de assassinato contra o rei
Atencioso o suficiente para adotar sua prima
Recusou-se a curvar-se diante de qualquer pessoa, exceto Deus
Ocupou o lugar de Hamã como segunda pessoa no comando do reino de Assuero
Lições de vida:
As oportunidades que temos são mais importantes do que aqueles que desejaríamos ter sido
Podemos confiar em Deus para tecer os acontecimentos da vida para o nosso bem, embora possamos não estar aptos a enxergar a totalidade da sua atuação
As recompensas pelas atitudes corretas são algumas vezes adiadas, mas são garantidas pelo próprio Deus
Informações essências:
Local: Susã, uma das várias capitais da Pérsia
Ocupação: Oficial judeu que se tornou o segundo de Assuero
Familiares: Filha adotiva – Ester; pai – Jair
Contemporâneos: Assuero e Hamã
Versículo-chave: “Porque o judeu Mardoqueu foi o segundo depois do rei Assuero, e grande para com os judeus, e agradável para com a multidão de seus irmãos, procurando o bem do seu povo e trabalhando pela prosperidade de toda a sua nação”. Et 10:3

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Noticias: Encontrado Coluna "Pórtico de Salomão"

Coluna do “pórtico de Salomão”
é desenterrada em Jerusalém
Encontrado Coluna "Pórtico de Salomão"
Parte da estrutura estava entre “lixo” retirado do Monte do Templo
O projeto Peneirar foi criado em 2004 por arqueólogos que desejavam investigar o que havia nas mais de 9 mil toneladas de terra removidas do Monte do Templo em 1999. O que era “lixo” para a Autoridade Islâmica Waqf – que administra o local desde a guerra de 1967 – para os judeus é parte essencial de sua história. No final do ano passado, por exemplo, eles conseguiram resgatar parte do piso do Segundo Templo. Na primeira semana de Abril/2017, eles encontraram parte de uma coluna que ficava no “pórtico de Salomão”, mencionado no Novo Testamento como local de reunião da igreja no primeiro século (Atos 3:11 e 5:12). O local dava acesso ao pátio dos gentios e era ladeado por colunas. Um capitel, parte que ficava no alto da estrutura, no estilo dórico, foi desenterrado. Ele indica que  cada  coluna tinha uma circunferência de 75 centímetros. A descoberta da peça, parte da colunata dupla que cercava o acesso Oriental do Monte Moriá nos dias de Jesus, é mais uma prova incontestável que os relatos bíblicos sobre o local estavam corretos ao afirmar que naquele local foram construídos dois templos judeus. A coluna media 12 metros de altura e tinha um capitel cuidadosamente adornado. Além de o Novo Testamento falar sobre o local, o livro “A Guerra dos Judeus”, do historiador judeu-romano Flávio Josefo descreve a praça de acesso do Monte do Templo.
O Dr. Gabriel Barkay, diretor do Projeto Peneirar afirmou à imprensa: “Este é um capitel no estilo dórico, uma das características da arte na época da dinastia dos Hasmoneus. Parece que fazia parte da colunata oriental do Monte do Templo, que Josefo e até mesmo o Novo Testamento chamavam de “Pórtico de Salomão”. Uma coluna como esta é um impressionante testemunho da imensidão das estruturas no Monte na era do Segundo Templo, e se encaixa bem com a narrativa de Josefo, que descreve o que ele viu com seus próprios olhos. Barkay explicou que as colunas ficavam em duas fileiras paralelas, sendo cobertas com vigas de cedro que sustentavam a estrutura que oferecia sombra aos peregrinos, em especial quando vinham de muito longe para as três principais festas judaicas. Esse tipo de descoberta em meio a tentativa dos palestinos e das Nações Unidas de negarem os vínculos históricos dos judeus com o Templo e com Jerusalém chama atenção nas vésperas da comemoração do cinquentenário da reunificação da sua capital eterna. Mesmo assim, o projeto Peneirar passa por dificuldades. Seus idealizadores aproveitaram a divulgação desse achado para pedir ajuda financeira ao governo de Israel. Para Barkay, o Peneirar é uma “extraordinária ferramenta de educação”. Qualquer pessoa interessada pode se inscrever e envolver-se na busca arqueológica. Mais de 200 mil voluntários já passaram pelo local, ajudando a desenterrar importantes peças arqueológicas.
Fonte: GospelPrime
com informações Jerusalém Post 
Israel Hayom
Conheça o Projeto: The Temple Mount Sifting Project - Projeto Peneirar Monte do Templo

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Filmes Cristãos: Pregando o Amor

Sinopse
Miles Montego (Ja Rule) leva uma vida de diversão e excessos com os amigos, sem grandes preocupações. Quando aceita a sugestão de frequentar a Igreja, para encontrar uma mulher séria, ele conhece Vanessa (Adrienne Bailon), garota que dedica sua vida à religião. Os dois começam um relacionamento, mas Miles tem dificuldades em esconder o seu passado, quando era um traficante de drogas procurado pela polícia. A descoberta deste segredo pode arruinar o amor entre os dois.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Testemunhos: Irmão Neto - Jogador da Chapecoense

O zagueiro Neto, último sobrevivente resgatado da tragédia com o avião que levava a delegação da Chapecoense, em novembro, contou seu testemunho na Igreja Batista Central em Chapecó. O jogador, que já se recuperou completamente, agradeceu a Deus pelo milagre e a intercessão de todos.  “O Senhor é poderoso e Ele faz milagres. A humanidade não acredita nos milagres, poucos acreditam em Deus. Eu sei que Deus operou um milagre na minha vida. Tive um período muito difícil na Colômbia, onde Deus colocou as mãos dEle, me cobriu, me guardou”, declarou o jogador. Neto contou que foi completamente desacreditado pelos médicos ao ser resgatado. Ele ainda falou sobre a soberania de Deus e que crê que a obra dEle é perfeita. “E Deus fez a obra por completo, como sempre Ele faz. Se Deus permitiu que eu ficasse vivo 8 horas com os pulmões perfurados, pneumonia, aquele frio de 2ºC, Deus iria permitir que eu estivesse aqui hoje. Deus foi perfeito comigo, como Ele é perfeito com todos.” O jogador ainda aproveitou a oportunidade para lembrar que nosso tempo é limitado e do nosso papel na Terra: pregar o evangelho de Cristo. “Deus me trouxe uma lição depois disso tudo. Primeiro que a gente não é nada sem Ele. E quando você está na cama do hospital você vê que você não é nada. Você pode ser o mais poderoso, o mais bem-sucedido, mas naquele momento, quando você está entre a vida e a morte, [você pensa]: o que você fez nessa terra? Quantas almas você levou para Jesus? Será que você fez a vontade de Deus? Pra onde você vai se você for embora?.” Somos gratos a Deus pelo milagre na vida do jogador Neto, membro da IBC em Chapecó. Continuamos em oração pelas famílias de todos os envolvidos no acidente.

Assista o testemunho completo no vídeo clique no link abaixo:
https://www.youtube.com/watch?v=w_cmqt7rRSY

terça-feira, 18 de abril de 2017

Livro do Apocalipse: Aprendendo um pouco sobre o livro de Daniel cap. 1 ao 10.

Daniel Capítulo 1

-Introdução: A história do jovem Daniel aconteceu na Babilônia, o mesmo lugar onde foi a torre de Babel e hoje é o Iraque. Durante o reinado do tirano Nabucodonosor, conhecido pelos jardins suspensos e grandes construções na Babilônia. Algumas ruínas como o Zigurate de Ur, um templo babilônico mostram a suntuosidade deste império.
O povo de Israel esteve cativo na Babilônia desde a queda de Jerusalém em 587 a.C. quando os exércitos babilônios destruíram o templo e roubaram seus tesouros.
Como ser um jovem consagrado a Deus?
Vamos aprender alguns desafios enfrentados por Daniel e como superou tudo se consagrando a Deus:
1- Superar Perdas: v.3,4
Nabucodonosor Levou como escravos os mais nobres do povo (v.3,4). Jovens inteligentes que foram feitos eunucos (castrados) para servir ao rei. Em torno de 10 mil pessoas (II Reis 24.14). Dentre os cativos havia centenas de jovens judeus. Daniel, Hananias, Misael e Azarias estavam entre os prisioneiros (v.6,7). Eles perderam tudo, família, amigos e dignidade, mas mesmo assim foram fiéis a Deus. Na vida passamos por muitas perdas. A juventude moderna vem de uma geração mimada e acostumada a conseguir tudo o que quer. Por isso vários jovens que não estão preparados se desesperam ao ouvir um simples não de uma entrevista de emprego ou de alguém que se interessa para se relacionar. Quando um jovem cristão sofre uma perda, consegue superar porque tem a ajuda do Consolador que é o Espírito Santo (João 14.16,26). Mesmo que perder tudo, nunca perderá sua fé.
Aprenda a superar perdas!
2- Controlar Desejos: v.5 e 8
Os jovens cativos deveriam comer a mesma comida do rei. Uma alimentação especial, mas baseada em carnes de animais sacrificados aos ídolos da Babilônia. A decisão de Daniel foi de não se contaminar comendo os banquetes do rei que eram comidas sacrificadas a ídolos, além de nada saudáveis. Preferiram comer legumes, frutas e verduras. Daniel e seus amigos resolveram o problema com muita oração, mas com firmeza (v. 9-14). O resultado da obediência foi que Daniel e seus amigos ficaram mais fortes e saudáveis que todos os outros jovens.
O hedonismo é uma filosofia de vida que ensina a fazer tudo o que sentir vontade. Este tem sido o lema da juventude atual, mas é algo perigoso porque em muitos casos os seus desejos se tornam incontroláveis. Um jovem cristão precisa buscar o domínio próprio, que somente o Espírito de Deus pode nos dar (Gálatas 5.23). Jesus ensinou que “se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me” (Lucas 9.23) para mostrar que na vida cristã precisamos aprender a controlar os impulsos da carne.
Aprenda a controlar os desejos!
3- Manter sua Identidade: v.6,7
Daniel e seus amigos foram submetidos a uma troca de seus nomes hebreus para nomes da religião babilônica. Em cada um dos casos o nome hebraico tinha o nome de Deus (EL ou YAH, abreviaturas de YAHWEH e ELOHIM para terminação de nomes) e os nomes babilônicos também traziam os nomes de seus deuses. Mesmo esta mudança radical de seus nomes não foi capaz de mudar sua personalidade. Em momento algum assumiu sua identidade babilônica, mas se conservou como judeu e acreditando no Senhor.
Veja este quadro com os nomes e significados:
Nome: judeu e seu significado
Daniel - “Deus é o meu Juiz”
Nome: babilônico e seu significado
Beltessazar - “Bel (Baal) proteja sua vida”
Nome: judeu e seu significado
Hananias - “IAHWEH demonstra Graça”
Nome: babilônico e seu significado
Sadraque - “Ordem de Aku” (deus da lua)
Nome: judeu e seu significado
Misael - “Quem é o que Deus é?”
Nome: babilônico e seu significado
Mesaque - “Quem é o que Aku é?”
Nome: judeu e seu significado
Azarias - “Aquele a quem IAHWEH ajuda”
Nome: babilônico e seu significado
Abede-nego - “Servo de Nebo”
A juventude cristã tem sido pressionada pelo mundo para se conformar com este século, mas precisa a cada dia renovar sua mente para não perder sua identidade e fé (Romanos 12.1,2).
Não perca sua identidade cristã!
Consagre sua juventude a Deus!
-CONCLUSÃO: v.15,16
Daniel e seus amigos se mantiveram firmes na presença de Deus e foram revestidos de sabedoria especial da parte de Deus (v.17 e 20). O rei fez testes de conhecimentos e viu que a sabedoria deles era muito superior aos outros jovens do reino. Daniel ainda recebeu o dom da interpretação de sonhos e visões que o destacaram como profeta de Deus. Daniel era um jovem que buscava ter uma vida santificada. Não media esforços para sacrificar algo. Não aceitava o pecado. Era um guerreiro de oração. E você? Estaria disposto a abrir mão de algum prazer para pagar o preço da santificação?
Seja um jovem consagrado!

Curiosidades Bíblicas: Sobre a Páscoa

Páscoa – do Hebraico Pessach, que significa Passagem – é uma data considerada pelos cristãos como a maior e a mais importante festa de sua religião. Nesta data, é celebrada a ressurreição de Jesus Cristo, depois da sua morte por crucificação, que teria ocorrido nesta época do ano, em 30 ou 33 da Era Comum. A Páscoa pode cair em entre 22 de março e 25 de abril.

NAS CIVILIZAÇÕES ANTIGAS
Uma festa de passagem era comemorada entre povos europeus há milhares de anos atrás. Principalmente na região do Mediterrâneo, algumas sociedades, entre elas a grega, festejavam a passagem do Inverno para a Primavera, durante o mês de março. Geralmente, esta festa era realizada na primeira lua cheia da época das flores. Entre os povos da antiguidade, o fim do Inverno e o começo da Primavera eram de extrema importância, porque estavam ligados a maiores chances de sobrevivência, em função do rigoroso inverno que castigava a Europa, dificultando a produção de alimentos.

PÁSCOA JUDAICA
Entre os judeus, esta data assume um significado de grande relevância, porque marca a fuga deste povo do Egito, por volta de 1250 a.C, onde foram escravizados pelos faraós durante, aproximadamente, 400 anos. A história é narrada no Antigo Testamento da Bíblia, no livro do Êxodo. Nessa data, os judeus preparam e comem o matzá (pão sem fermento) para lembrar a rápida fuga do Egito, quando não sobrou tempo para fermentar o pão.





A PÁSCOA CRISTÃ
Entre os cristãos, esta data celebra a ressurreição de Jesus!
Veremos que a primeira festa da páscoa (PESSACH), cumpriu-se de maneira perfeita em Jesus. O calendário bíblico começa com o mês primaveril de Nissan ou Abib; no dia 14 desse mês, ao entardecer, começa a páscoa judaica quando eram mortos os cordeiros. Em Ex. 12 Deus deu instruções a Moises sobre tudo o que deveria ser feito na noite em que o anjo destruidor passaria pelo Egito. Moises ordenou que no decimo dia do 1 mês toda a família israelita deveria tomar para si um cordeiro ou um cabrito, macho de 1 ano, sem defeito (Ex.12, 3 a 6) essa ordenança teve seu cumprimento de maneira impressionante em Jesus, que tornou-se o cordeiro de Deus para tirar o pecado do mundo. Seis dias antes da páscoa Jesus chegou a Betânia (Jo.12.1) próximo a Jerusalém, no primeiro dia da semana santa (domingo de ramos) ele entrou na cidade sobre um jumentinho acompanhado dos brados de jubilo do povo e dos discípulos (Jo. 12.12) ele veio a Jerusalém conscientemente para sofrer e morrer, a respeito disso havia falado varias vezes aos seus discípulos, mas eles não conseguiram entende-lo. Como podemos ver esse foi o decimo dia do primeiro mês, quando o cordeiro pascal tinha de ser separado. Jesus igualmente separou-se e recolheu-se para a sua ultima jornada de sofrimento e morte, como aconteceu com o cordeiro no Egito, que antes de ser sacrificado foi preparado por quatro dias (Ex. 12.6). A entrega de Jesus para ser sacrificado é descrita em Jo. 19.14 a 16, lemos o vers. 14> era a preparação da páscoa quase a hora sexta..... tudo aconteceu nesse dia, embora os sacerdotes e anciões do povo tentassem evitar a dissidência com a festa (Mt26.4 a 5) a pressa que o processo e a execução acontecerão, mostra como se procurou resolver a questão rapidamente, porque a festa estava próxima. Jesus ficou pendurado na cruz por seis horas, das nove horas da manha as três da tarde, quando inclinou a cabeça e morreu. A tradição judaica determinava que se  começassem a sacrificar os cordeiros pascais  as três horas da tarde. A Exatidão do cumprimento do simbolismo em Jesus é impressionante, como se Deus quisesse mostrar ao seu povo mais uma vez, “Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. O elemento mais importante do cordeiro pascal no Egito era o sangue, que devia ser passado nas ombreiras e vergas das casas. O sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes, quando eu ver o sangue passarei por vós, e não haverá entre vós praga destruidora, quando eu ferir a terra do Egito (ex. 12.13) da “palavra passarei em hebraico Pesach”, vem o nome Páscoa! Para os israelitas o sinal do sangue foi salvação. Igualmente o sangue de Jesus tornou-se o sinal da salvação para nós que cremos nele. Seu sangue mostra:  aqui já houve julgamento. O castigo que nos traz a paz estava sobre ele. (Is. 53.5). Em Ex. 12.22 está escrito algo muito importante... “nenhum de vós saia da porta de sua casa até pela manha". Os israelitas estavam seguros somente atrás das portas aspergidas com o sangue. Assim também nos estamos seguros somente em JESUS; o ap. Paulo nos diz em RM 5.9 que sendo justificado pelo seu sangue seremos por ele salvos da ira. No mesmo contexto está escrito Ex. 12.11 da mesma maneira comereis: lombos cingidos, sandálias nos pés e cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do Senhor. Também os crentes em Jesus, devem assumir posicionamento espiritual semelhante aos israelitas, prontos para partir, como está escrito em HB 13,14; na verdade, não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a que há de vir. Mais adiante a carta aos hebreus nos diz no cap 11.10 a 16 que os crentes salvos, como peregrinos na terra, estamos a caminho de uma pátria superior. Somos um povo que a cada dia que passa esta saindo desta terra em direção a pátria celestial. Esta caminhada dura em média de 60 a 90 anos,  e exige de nós muita dedicação, requer a passagem das trevas para a Luz em Deus, exige a passagem da escravidão do comodismo, vícios e pecados a liberdade em Cristo a qual vamos encontrar não mais como um cordeiro. Mas como um Rei soberano e cheio de Glória e com Ele habitaremos eternamente na Nova Jerusalém.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Mensagens: Não desista de você

A vida coloca diante de nós muitos obstáculos, muitos desvios, cria, algumas vezes, labirintos que não parecem ter saída. Em algum momento da sua vida, você pode se sentir completamente só e perdido. Mas não desista. Por mais que nada lhe parece motivar e que a própria vida pareça não fazer sentido, não desista de você.
Quando tudo a sua volta parecer desmoronar, pense que a sua fortaleza está dentro do seu coração. Não deixe o fogo da vida se apagar. Não mate a sua vida aos poucos, não perca o ânimo, não perca a alegria de viver e de enfrentar os desafios. É justamente nos momentos mais difíceis que você descobre ser mais forte do que alguma vez foi capaz de imaginar.
Nos momentos em que se sentir vazio ou perdido, acenda uma vela, ajoelhe-se e reze. Você pode até não acreditar em Deus, mas certamente acredita numa força que ultrapassa as suas capacidades. Reze, reze, reze! Invente a sua oração, reze com todo o seu coração e não deixe o fogo da vida se apagar em você. Não desista. Enquanto há vida, há uma luz que lhe levará para fora deste labirinto. Acredite em você. Acredite!