terça-feira, 19 de setembro de 2017

Ilustração: Uma Novidade de 2.000 anos

UMA NOVIDADE DE 2.000 ANOS
Fiquei profundamente comovido ao reencontrar um velho amigo, sofrendo de uma doença séria. Seus rins estavam falhando e ele parecia ter pouca esperança de recuperar a saúde.
– Tenho certeza de que estou nas últimas, disse ele com tristeza
– Meu amigo, não perca a esperança, respondi, nós,  cristãos, cremos na vida eterna.
Para minha surpresa, ele ficou curioso para ouvir mais. Parecia que a idéia da vida eterna era novidade para ele. Estava ansioso por saber o que os cristãos pensam acerca da vida eterna e como esperam recebê-la.
Expliquei-lhe que a vida eterna é possível se estivermos dispostos a aceitar Jesus Cristo como nosso Senhor e Salvador pessoal. A esperança irradiou de seu rosto e a alegria brilhou em seus olhos enquanto eu compartilhava a mensagem de Jesus sobre a vida eterna, encontrada em João 3:16.
– Já estou nos meus 70 anos, disse ele em tom alegre, mas eu nunca tinha ouvido uma coisa tão boa como esta.
Os comentários do meu amigo me surpreenderam. Eu presumira que ele estivesse familiarizado com a promessa de Deus de vida eterna através de Jesus Cristo. Senti profundamente compaixão por este meu irmão, que nunca tinha ouvido as boas novas de Cristo. Por causa dele, nunca mais presumi que as pessoas que encontro são cristãs e que estão preparadas para a vida eterna. Todos os dias eu tento encontrar oportunidades para compartilhar as boas novas com as pessoas que me cercam.
"Pregue a palavra… a tempo e fora de tempo".
II Timóteo 4.2

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Filmes Cristãos: Milagres do Paraíso

SINOPSE:
Christy e Kevin Beam são pais de três garotas: Abbie, Annabel e Adelynn. Cristãos convictos, os Beam vão à igreja com frequência. Um dia, Annabel começa a sentir fortes dores na região do abdomem. Após muitos exames, é constatado que a garota possui um grave problema digestivo. Tal situação faz com que Christy busque a todo custo algum meio de salvar a vida da filha, ao mesmo tempo em que se afasta cada vez mais de sua crença em Deus.

domingo, 17 de setembro de 2017

Curiosidades Bíblicas: O antigo e o novo método de sacrifício

O antigo e o novo método de sacrifício
Método Antigo de Sacrifício:

Era temporário (Hb 8:13)
Arão - primeiro Sumo Sacerdote (Lv 16:32)
Da tribo de Levi (Hb 7:5)
Ministério na terra (Hb 8:4)
Era efetuado com sangue de animais (Lv 16:15)
Requeria muitos sacrificios (Lv 22:19)
Eram necessários animais perfeitos (Lv 22:19)
Exigia cuidadosa aproximação do Tabernáculo (Lv 16:2)
Olhava para o novo metodo de sacrificio (Hb 10:1)

Método Novo de Sacrifício:

É permanente (Hb 7:21)
Jesus - único Sumo Sacerdote (Hb 4:14)
Da tribo de Judá (Hb 7:14)
Ministrado no céu (Hb 8:1,2)
É efetuado com o Sangue de Cristo (Hb 10:5-12)
Requer apenas um sacrifício (Hb 9:28)
E necessaria uma vida perfeita (Hb 5:9)
Encoraja a aproximaçao confiante do Trono (Hb 4:16)
Põe de lado o antigo sistema (Hb 10:9)

sábado, 16 de setembro de 2017

Estudos: Sobre a Divindade de Jesus Cristo - Jesus é Deus part. 5/6

A Adoração Dada a Cristo Comprova Que Ele é Deus
Adorar a Deus é tão importante que o Senhor gasta tempo, em toda a Bíblia, explicando como isso deve ser feito. Em Êxodo 20:1-7, lemos: "Então falou Deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou o SENHOR teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos. Não tomarás o nome do SENHOR teu Deus em vão; porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão." Aqui, encontramos o objeto, os meios e a maneira de adorar. Somente Deus deve ser adorado e nenhum outro deus deve ser tolerado. Adorar outros deuses é provocar a ira de Deus contra o pecador rebelde. Deus é enfático e explícito ao dizer que nenhum outro deus deve ser adorado porque Ele é o único Deus vivo e verdadeiro de todas as eras. Todos os outros deuses não passam de ídolos mudos. Em Deuteronômio 6:13-16, Moisés diz: "O SENHOR teu Deus temerás e a ele servirás, e pelo seu nome jurarás. Não seguireis outros deuses, os deuses dos povos que houver ao redor de vós; porque o SENHOR teu Deus é um Deus zeloso no meio de ti, para que a ira do SENHOR teu Deus se não acenda contra ti e te destrua de sobre a face da terra. Não tentareis o SENHOR vosso Deus, como o tentastes em Massá."
Deus fica irado quando Seu povo se desvia para adorar os falsos deuses. Sua ira se acende como um fogo. Juízes 2:12 diz: "E deixaram ao SENHOR Deus de seus pais, que os tirara da terra do Egito, e foram-se após outros deuses, dentre os deuses dos povos, que havia ao redor deles, e adoraram a eles; e provocaram o SENHOR à ira." Quando isso acontece, o Senhor envia o julgamento sobre o pecado do Seu povo. Em Jeremias 1:16 e 7:18 lemos: "E eu pronunciarei contra eles os meus juízos, por causa de toda a sua malícia; pois me deixaram, e queimaram incenso a deuses estranhos, e se encurvaram diante das obras das suas mãos... Os filhos apanham a lenha, e os pais acendem o fogo, e as mulheres preparam a massa, para fazerem bolos à rainha dos céus, e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem à ira." O povo de Deus deve desprezar os deuses estranhos dos pagãos, como fizeram os amigos de Daniel, segundo lemos em Daniel 3:18: "E, se não, fica sabendo ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste." Paulo observa que existe um só Deus verdadeiro, em 1 Coríntios 8:5-6: "Porque, ainda que haja também alguns que se chamem deuses, quer no céu quer na terra (como há muitos deuses e muitos senhores), todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele." Tudo isso é mostrado para que saibamos que somente Deus deve ser adorado. Adorar qualquer outro que não seja o Deus vivo e verdadeiro é quebrar a Lei do Senhor e desobedecer-Lhe com o hediondo pecado da rebelião. Também é importante lembrar que Deus não divide a Sua Glória com outro deus. Isaías 42:8 diz: "Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura." Somente é aceitável adorar o Deus verdadeiro e nenhum outro. Mesmo assim, Jesus é sempre adorado em todo o Novo Testamento e até mesmo do Velho Testamento, por meio da profecia. Este fato é notável por duas razões: 1) Jesus permitiu ser adorado, o que significa que Ele é Deus e sabia disso; 2) Somente Deus deve ser adorado e centenas de Escrituras sobre este assunto o comprovam. Ele compartilha da glória divina. Deus só divide Sua glória com Ele. Se Jesus não é Deus, então exatamente neste ponto toda a fé cristã desmorona e se transforma em nada. Jesus diz aos Seus discípulos que eles deveriam crer em Deus como o seu objeto de fé. Contudo, em João 14:1 Ele diz: "Não se turbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim." Crer em Deus é um ato de adoração e confiança em Seu Nome. Jesus ordenou que creiamos Nele como cremos em Deus. O elemento de fé é o mesmo. Nesta confiança, Jesus é exaltado. A profecia do Velho Testamento referente ao Filho, no Salmo 2:12 pode ajudar: "Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam." Os que confiam no Filho são chamados de bem-aventurados. Ele deve ser beijado [isto é, adorado de joelhos] e Nele devemos confiar porque Jesus é Deus. Jesus Cristo deve ser honrado da mesma maneira como o Pai, conforme é demonstrado em João 5:23: "Para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou." Ambos devem ser adorados, o que não seria legítimo, se Jesus não fosse Deus. Se isso acontecesse estaríamos dando honra a um simples homem mortal, uma honra que é devida somente a Deus. Não apenas os homens devem adorar ao Senhor Jesus, mas também os anjos são ordenados a fazê-lo, conforme Hebreus 1:6: "E outra vez, quando introduz no mundo o primogênito, diz: E todos os anjos de Deus o adorem." De fato, todos os anjos, homens e criaturas são comandados a dobrar os joelhos para adorá-Lo, conforme Filipenses 2:9-11: "Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai."
Também lemos em Apocalipse 5:13: "E ouvi toda a criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e que está no mar, e a todas as coisas que neles há, dizer: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo o sempre". O Cordeiro, Jesus Cristo, deve ser adorado para todo o sempre! Porque Jesus é Deus! Ele sempre foi adorado: um leproso o adorou, conforme Mateus 8:2: "E, eis que veio um leproso, e o adorou, dizendo: Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo." Em Mateus 9:18, vemos que um líder o adorou: "Dizendo-lhes ele estas coisas, eis que chegou um chefe, e o adorou, dizendo: Minha filha faleceu agora mesmo; mas vem, impõe-lhe a tua mão, e ela viverá." Em Mateus 28:9,17, após Sua ressurreição, as mulheres O adoraram: "E, indo elas a dar as novas aos seus discípulos, eis que Jesus lhes sai ao encontro, dizendo: Eu vos saúdo. E elas, chegando, abraçaram os seus pés, e o adoraram. E, quando o viram, o adoraram e alguns duvidaram." (A idéia de que alguns duvidaram é inacreditável!). Os demônios O adoraram, como aconteceu com o possesso gadareno: "E, quando viu Jesus ao longe, correu e adorou-o." (Marcos 5:6) No caminho de Emaús, dois discípulos O adoraram, conforme Lucas 24:52: "E, adorando-o eles, tornaram com grande júbilo para Jerusalém." Até mesmo o cego de nascença, quando O encontrou, O adorou: "Ele disse: Creio, Senhor. E o adorou." Jesus permitiu que os homens O adorassem e admitiu essa adoração. Essa era uma razão para um israelita ser apedrejado e por isso os judeus quiseram apedrejar Jesus. Demônios, anjos, leprosos, gentios, judeus, Seus próprios discípulos e outros O adoraram. Sempre e sempre vemos que Jesus foi adorado e todos os que O adoraram agiram corretamente. Ele merecia essa adoração porque Jesus é Deus!

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Livro do Apocalipse: Aprendendo sobre o Livro de Daniel cap. 6

A Babilônia é derrotada em uma única noite pelo Império Medo-Persa.
Dario, o Medo conquista a Babilônia: v.1-9
Dario organiza o império: v.1,2
Daniel sobrevive à invasão do Império Medo-Persa e é escolhido pelo rei Dario para ser presidente no Império: v.2,3
Todos tinham inveja de Daniel e procuravam alguma coisa contra ele. Mas Daniel era fiel ao rei e só desobedeceria ao rei para obedecer a Deus: v.5
Como sair da cova dos leões? Vamos aprender com Daniel como foi perseverante e fiel:
1- A perseguição a Daniel: v.6-9: Os Presidentes, Governadores e Sátrapas foram ao rei Dario e pediram que assinasse um decreto: v.6.  A partir de então todas as pessoas deveriam considerar o rei Dario como um deus e orar somente a ele por trinta dias: v.7,8. Quem não obedecesse seria lançado numa cova para os leões. O decreto foi assinado e divulgado: v.8,9. Todas as pessoas adoravam ao rei Dario fazendo-lhe pedidos.
2- O exemplo de Daniel: v.10-17: A reação de Daniel foi orar: v.10-17. Daniel orava 3 vezes ao dia em sua janela olhando para Jerusalém. Por que Daniel orava em sua janela olhando para Jerusalém?
Porque as Escrituras já ensinavam: “Orai pela paz de Jerusalém! Sejam prósperos os que te amam.” Salmos 122.6
O exemplo de Daniel:
- Não teve medo;
- Não teve vergonha;
- Disciplina;
- Constância;
- Perseverança;
3- O livramento de Deus para Daniel: v.11-27
Eles vigiaram Daniel e pela janela o viram orando: v.11
Lembraram ao rei sobre o decreto que não podia ser mudado: v.12
Daniel é levado perante o rei Dario: v.13-15
Daniel foi lançado na cova dos leões: v.16
Dario deseja que Daniel se salve: v.16
Daniel passou a noite com os leões: v.18-28
O rei Dario não conseguiu comer nem dormir aquela noite: v.13-15
Mas os leões tiveram que dormir sem comer.
Por que Daniel não teve medo dos leões?
Por que não estava sozinho!
“O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem e os livra.” Salmos 34.7
“Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar” I Pedro 5.8
Pela manhã bem cedo o rei Dario vai à porta da cova: v.19-20
Daniel responde ao rei Dario: v.21
Daniel conta que um anjo de Deus fechou a boca dos leões: v.22
O rei Dario manda jogar os inimigos de Daniel na cova dos leões: v.21
O rei Dario desfaz o antigo decreto e ordena que o Deus de Daniel seja louvado: v.25-27
Viva em oração!
-CONCLUSÃO: v.28
Daniel sobrevive a impérios e reis: v.28
-Império Babilônio de com Nabucodonosor e Belsazar
-Império Medo-Persa com Dario, o Medo e Ciro, o Persa E você?
Se você caísse em uma cova com leões? O que faria? Teria medo?
Que tipo de Leão você tem enfrentado?
Viva em oração Seja fiel a Deus.
 Não tenha medo.
 Seja disciplinado.
 Tenha compromisso.
 Cuidado com o pecado.
 Não tenha vergonha de servir a Deus.
 Não espere cair na cova para orar!!!

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Botânica de Deus: Floresta

As florestas ou bosques, mencionados na Bíblia, são o bosque de Efraim (Js 17.15), o de Betel (2 Rs 2.23,24), o de Herete (1 Sm 22.5), e o do deserto de Zife, em que Davi se escondeu (1 Sm 23.15). *veja também 1 Sm 14.25 – 2 Cr 27.4 – is 56.9. Ainda hoje existem partes destes bosques, não havendo dúvida de que em outro tempo era a Palestina bem provida deles. Perto de Maanaim estava o bosque de Efraim (2 Sm 18.6), onde se deu o combate entre Davi e Absalão. A ‘Casa do Bosque do Líbano’, edificada por Salomão, magnificente pela sua grandeza e estilo arquitetônico, foi assim chamada pela grande quantidade de madeira de cedro, que foi empregada na sua construção (1 Rs 7.2 – 10.17,21 – 2 Cr 9.16,20). A floresta era usada como símbolo do orgulho (2 Rs 19.23 – is 10.18 – 32.19 – 37.24 – Jr 21.14 – 22.7 – 46.23 – Zc 11.2), e também como figura de esterilidade em confronto com um campo cultivado ou uma vinha (is 29.17 – 32.15 – Jr 26.18 – os 2.12).
O termo hebraico para terreno arborizado é yá·ʽar, traduzido “floresta”. (Js 17:15; 1Sm 14:25) Antigamente, a terra da Palestina tinha uma abundância de florestas com árvores de muitos tipos. As referências bíblicas a florestas e bosques, e ao uso de madeira, tornam evidente que naquele tempo as árvores eram muito mais comuns do que atualmente, apesar dos esforços de reflorestamento nos últimos anos. (2Cr 27:4; Jz 9:48, 49) Isto também é confirmado pela descrição de animais selváticos, mostrando que as florestas podiam dar abrigo e habitação adequados para ursos (2Rs 2:23, 24), leões (1Sm 17:34; 1Cr 11:22) e outras formas de vida animal (Ez 34:25).
Uso Simbólico: Assim como árvores são usadas para simbolizar pessoas e governantes individuais, assim a Bíblia usa florestas de forma simbólica para povos ou nações e seus governantes.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Olhar Feminino das Escrituras: Flexibilidade - Abrindo mão de expectativas

Flexibilidade – Abrindo mão de expectativas
Uma pessoa flexível se sujeita ao Senhor e o serve (Êx 24:7; 2Cr 30:8), se submete à vontade do Pai mesmo quando vai de encontro ao seu desejo pessoal (Mt 26:42) e escolhe ser obediente a Cristo em seu comportamento e em sua vida interior (2 Co 10:4-6).
Nas Escrituras, o oposto de ser flexível é ter um coração endurecido e uma “dura cerviz”, implicando resistência ao Espírito Santo (At 7:51), insolência e obstinação contra o Senhor (Ez 2:2-4) e adoração a falsos deuses (Êx 32:8-9), atitude que indicam um espírito rebelde. A pessoa com um coração endurecido e uma dura cerviz atrai sobre si a ira de Deus (Pv 28:14).
Em nossos relacionamentos, devemos nos sujeitar aos que exercem autoridade sobre nós (Hb 13:17), dando preferência aos outros em vez de exigir que as coisas sejam feitas da nossa maneira (Rm 12:10); ao mesmo tempo, contudo, devemos aborrecer o mal e apegar-nos ao bem (Rm 12:9). Acima de tudo, devemos estar prontas para proclamar as Boas Novas do Evangelho em qualquer ambiente que Deus nos colocar. (Ec 9:10; Fp 2:14; 4:11-13; Cl 3:23-24)